Resultados em vendas: online x offline

Resultados em vendas: online x offline

O comércio eletrônico (online) vem crescendo exponencialmente nos últimos tempos, principalmente em comparação com o comércio físico (offline). Mesmo com turbulências na economia, o e-commerce brasileiro cresceu 12% em 2017 e teve faturamento de R$ 59,9 bilhões. E a projeção é que o comércio online em 2018 deva crescer 15% e movimentar R$ 69 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

O comércio eletrônico vem mantendo esse crescimento de 15%, em média, nos últimos anos, um índice bem mais significativo que do varejo offline, que vem sofrendo mais com a recessão e tem uma projeção de crescer entre 2,5 a 3,3%, segundo estimativas de fontes especializadas divulgadas pelo Sebrae. Portanto, o mercado se mostra bem mais promissor para as lojas online que para as lojas físicas.

Mas você sabe a diferença entre comércio online e offline? Quais são as tendências para 2018 para ambos os canais? Quais são as possibilidades de realizar a integração entre os dois? Veja, a seguir, as respostas para essas perguntas e saiba como otimizar os seus resultados em vendas!

Conheça os resultados do comércio online em 2017

Num ano de forte recuperação, cerca de 203 milhões de pacotes de pedidos foram enviados pelas lojas online brasileiras no ano passado. De acordo com o E-commerce Radar 2017, idealizado pela Neomove, o tíquete médio chegou a R$ 294 no período, com destaque para as categorias de Eletroeletrônicos (R$ 558,20), Óticas e Acessórios (R$ 454,40) e Acessórios Automotivos (R$ 418,20).

De acordo com o estudo, o principal motivador das compras online continua sendo as buscas no Google – 52% dos pedidos acontecem após o cliente realizar uma busca nessa ferramenta. Além disso, com o aumento da penetração dos smartphones, o índice de compras por dispositivos móveis cresceu de 22% para 31%, entre 2016 e o primeiro semestre de 2017, e cerca de 34,5% dos pedidos tiveram o boleto como forma de pagamento.

Veja as projeções do comércio eletrônico para 2018

Para 2018, a projeção é de crescimento de 15% e faturamento de mais de R$ 69 bilhões, segundo a ABComm. Com isso, o tíquete médio deve subir para R$ 310 e o comércio online deverá movimentar mais de 220 milhões de pedidos ao longo do ano.

As projeções também apontam para a consolidação das vendas por meio do celular. A expectativa é que as vendas mobile totalizem 33% do total de pedidos. Portanto, aplicativos e otimização dos sites deverão fazer parte dos investimentos das empresas para 2018, com o propósito de aprimorar a visualização de produtos em dispositivos móveis.

Conheça as vantagens das lojas online

A maior vantagem nas compras online para os clientes são os preços — pois o baixo custo operacional permite que os valores sejam mais atraentes que nas lojas físicas — além de facilitar a comparação. Outro diferencial super importante é que a loja virtual funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, nos feriados e finais de semana, sem nenhum custo adicional.

A loja online se destaca ainda por oferecer uma maior variedade de produtos e mais formas de pagamento. As desvantagens são o prazo de entrega e a insegurança, pois o cliente não recebe o produto imediatamente e muitas vezes não gosta de informar seus dados pessoais ou bancários. Um modo de compensar isso é oferecer frete grátis, pois grande parte dos pedidos feitos já são fechados com esse benefício.

O surgimento de novas ferramentas na área de análise de risco e prevenção de fraudes vem deixando clientes e lojistas mais seguros. Oferecer formas de pagamento seguras e variadas é fundamental para gerar mais vendas e influenciar na fidelização dos clientes de seu e-commerce.

Veja as vantagens do comércio offline

A pronta entrega continua sendo a maior vantagem da loja física, seguida pela possibilidade de “tocar e sentir o produto”. No entanto, apenas 66% das lojas tinham o produto disponível para pronta entrega, segundo a pesquisa da ABCOMM, e 27% demorariam mais de dois dias para entregar os produtos. Portanto, a pronta entrega não vem funcionando tão bem assim.

A possibilidade de experimentar o produto e a facilidade para realizar a troca também contam pontos a favor da loja física. Outra vantagem é o atendimento humanizado, com contato direto entre o vendedor e o cliente.

Cada um dos canais apresenta vantagens e desvantagens para seus resultados em vendas. Por isso, muitos comerciantes vêm buscando por conciliar o comércio online e offline ou migrando das lojas físicas para as lojas virtuais.

Conheça as possibilidades de integração

As possibilidades de integrar a loja online com a loja física aumentam as oportunidades das empresas. Por exemplo, a loja física pode ter um totem para o cliente comprar na loja online; o cliente pode comprar online e retirar na loja física ou trocar o produto na loja; o ponto de venda físico pode oferecer ao cliente Wifi para consultas e compras online; a loja pode ter aplicativo para funcionar no smartphone.

No caso de faltar o produto na loja física, os vendedores devem utilizar a internet para não perder a venda. Segundo pesquisa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOMM), 57% dos vendedores checaram a disponibilidade do produto na loja online, para não perder a venda.

Porém, a maioria dos vendedores ainda é indiferente à integração dos canais e precisa de treinamento específico para efetivar essa integração. Cerca de 75% deles não aceitaram negociar o preço para cobrir a oferta da loja online.

Saiba como integrar o comércio offline com o online

O comércio online ganha cada vez mais espaço e a integração é um ótimo recurso. Porém, ainda há um longo caminho a ser percorrido para a integração dos canais. Para viabilizá-la, as empresas precisam também treinar seus vendedores para que possam atuar em conjunto com o canal online e buscar ferramentas de gestão que facilitem a integração.

Ferramentas como o ERP permitem um melhor controle das informações e a integração de todas as áreas de uma empresa, inclusive com a plataforma da sua loja virtual, possibilitando a rápida geração de relatórios, tornando o seu negócio mais competitivo e ágil.

Com o crescimento do comércio online, é praticamente obrigatório para uma empresa hoje em dia possuir um canal de comercialização na internet. Atualmente, existem plataformas de e-commerce prontas para fazer a transição e a integração de uma loja física para o meio online com praticidade, sem exigir conhecimentos técnicos. Seguindo essas orientações, você poderá otimizar seus resultados em vendas e integrar tanto o meio offline como o online.

Você gostou deste artigo? Esclareceu suas dúvidas sobre o comércio feito a partir da loja virtual e da loja física? Saiba mais sobre as vantagens e desvantagens de cada uma delas.

Deixe uma resposta