Abrir uma loja virtual: 7 dicas para lidar com a burocracia inicial

Abrir uma loja virtual: 7 dicas para lidar com a burocracia inicial

Se você vem tentando descobrir como abrir uma loja virtual e fica na dúvida sobre a burocracia inicial envolvida nesse processo, veio ao lugar certo para obter as informações que necessita para resolver isso com tranquilidade e de forma acertada.

Afinal, o senso comum costuma afirmar que, no Brasil, não vale a pena empreender e que é muito difícil fazer isso sem muito esforço. Na verdade, você verá que, sabendo a maneira correta de iniciar o seu negócio, não será tão complicado superar a burocracia envolvida.

Pensando nisso, vamos mostrar, a seguir, os 7 principais pontos que o empreendedor interessado em atuar no comércio eletrônico precisa saber para se sair bem. Confira!

1. Escolha o registro de domínio

O registro de domínio vem antes de qualquer aspecto relacionado à documentação, pois é por meio dele que as pessoas acessarão o seu e-commerce para realizar compras ou contratar serviços, dependendo do que você planeja oferecer.

O domínio é o nome do seu negócio na internet, o endereço online pelo qual as pessoas conseguirão visitar o seu site — como neste exemplo: www.nomedasuaempresa.com.br. Precisa ser uma alcunha original para evitar que seja confundido com outros empreendimentos do ramo em que você atua, mas também contextualizado com o que você vai oferecer, a fim de se posicionar estrategicamente na hora de ser lembrado pela clientela.

Pense em como as marcas de sucesso procuram relacionar o que fazem com o nome que têm. É no nome que começa o seu marketing. Pense nisso!

2. Contrate uma plataforma de e-commerce

Definidos a nomenclatura do seu e-commerce e o endereço de acesso, você precisará contratar uma plataforma especializada nesse tipo de negócio. A plataforma de e-commerce nada mais é que o sistema que permitirá criar a sua loja virtual e geri-la nas suas mais diversas funcionalidades.

Isso vai desde a inclusão, remoção e atualização de dados sobre produtos, gerenciamento de estoque e tudo mais que envolver a manutenção do seu negócio no meio digital.  Pense que, quanto mais completo for o serviço e quão menos limitantes forem os acordos que obriguem o seu negócio a estar vinculado à plataforma de e-commerce, melhor.

3. Defina o servidor de hospedagem

Agora que você já tem o nome do seu comércio eletrônico e já sabe com qual plataforma e-commerce contar, chega a hora de definir qual servidor de hospedagem melhor atende às demandas do seu negócio online.

Existem diversos tipos de servidores para hospedagens das mais diferentes finalidades. Aqui, vamos elencar apenas alguns, a fim de que você tenha discernimento sobre qual atenderá às necessidades do seu comércio eletrônico. Veja:

  • hospedagem gratuita: não se deixe encantar pela palavra “gratuita”. Nessa modalidade, os serviços oferecidos são limitados e a qualidade deles também pode comprometer a funcionalidade do seu site;
  • hospedagem compartilhada: esse é um modelo profissional e mais consistente que o gratuito. Ainda assim, apresenta limitações por compartilhar sua capacidade com outros sites que contrataram o mesmo serviço;
  • Serviço Virtual Privado (VPS): o mais indicado para lojas virtuais, devido à exclusividade desse modelo e capacidade de integrar diferentes recursos no servidor e lidar com grande volume de dados.

Para além desses, existem ainda outras boas alternativas, como a hospedagem exclusiva, que também é indicada para sites com alto volume de visitantes e carregamento de dados.

No entanto, vale ressaltar que o modelo SaaS acaba sendo a melhor opção pela facilidade e custo-benefício, uma vez que as plataformas de e-commerce que operam nesse formato já entregam o software junto a hospedagem de maneira completa, evitando que você tenha que se preocupar com duas coisas diferentes na gestão da sua loja virtual.

4. Abra o CNPJ, caso ainda não tenha

Para além do registro virtual, que é o domínio do seu site explicado no primeiro tópico desse post, você precisará dar entrada na Junta Comercial da cidade na qual a sede do seu e-commerce estará instalada para obter o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ).

Para ter mais facilidade nesse processo, é possível contar com o auxílio de um escritório de contabilidade que domine os pormenores dessa questão, evitando, assim, que você ocupe seu tempo tentando se adequar a determinadas burocracias.

Considere que, caso o faturamento anual da sua empresa esteja abaixo dos R$ 81 mil, ela poderá se enquadrar na condição de Microempreendedor Individual (MEI), sendo um processo muito mais simples, que pode ser feito todo virtualmente pelo site da Receita.

5. Siga a documentação

No meio de todo esse processo, existem alguns documentos que, inevitavelmente, você precisará ter em mãos, a fim de se preparar adequadamente para a burocracia inicial envolvida em abrir uma loja virtual. Os documentos básicos são:

  • cópia do IPTU do imóvel onde está situada a sede da empresa;
  • se o imóvel for alugado, você precisará do contrato de locação registrado em cartório ou declaração do proprietário caso tenha sido cedido por outrem;
  • cópia autenticada do Registro Geral (RG) e Cadastro de Pessoa Física (CPF) de cada sócio;
  • cópia autenticada do comprovante de endereço de cada sócio.

Outro ponto importante é o contrato social, que precisará ser redigido por um contador, a fim de evitar lacunas e transtornos mais à frente. O documento deverá ser levado à Junta Comercial da sua região para que o registro do seu negócio seja validado.

6. Entregue tudo no prazo

Se você seguiu os passos anteriores e procurou o devido auxílio, vai perceber que entregar os documentos no prazo será um processo simples. Os profissionais encarregados em ajudar você nas obrigações legais relativas à abertura do seu e-commerce poderão resolver isso sem grandes dificuldades.

Cumprida essa parte, você poderá focar, então, nas estratégias e inteligência do seu negócio, fazendo com que a sua loja virtual esteja preparada para prosperar.

7. Aproveite o apoio profissional para desenvolver o seu negócio

Não perca a oportunidade de adentrar ao mundo do e-commerce por medo da burocracia. Hoje, as soluções estão cada vez mais facilitadas, e o que não faltam são profissionais preparados para ajudar você nessa caminhada.

Isso também permite que você tenha mais tempo para pensar em como desenvolverá o seu negócio e não precise se estressar por conta de questões que não têm diretamente a ver com a sua relação com o consumidor e em como conquistará a clientela.

Seguindo as dicas que demos neste post, abrir uma loja virtual será muito mais fácil. Aproveite as informações para resolver a abertura da sua empresa da melhor forma e começar a colher os resultados que vem buscando!

Se gostou de conhecer essas dicas de como lidar com a burocracia inicial desse processo, aproveite para descobrir se você está preparado para vender online!

Leave a reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>