7 itens essenciais para garantir a segurança do e-commerce

7 itens essenciais para garantir a segurança do e-commerce

As compras online se consolidam, cada vez mais, como um método popular entre os consumidores brasileiros, o que é ótimo para quem já atua ou pensa em começar a atuar no segmento do comércio eletrônico. No entanto, entre as tantas questões envolvidas na criação de uma loja virtual, há uma crucial, que nunca pode ser deixada de lado: a segurança do e-commerce.

Um cliente que se sente seguro em uma loja online não vai hesitar em comprar um produto que, de repente, encontre por um preço atraente. Já se o mesmo consumidor não tiver confiança no site em que navega, as chances de que ele pense duas vezes ou até desista do negócio são bem maiores.

Por isso, os empreendedores que trabalham com vendas online devem sempre priorizar a questão da segurança, entendendo que esse é um fator primordial para aumentar suas taxas de conversão.

Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Então, leia com atenção o artigo que preparamos, com 7 itens essenciais para garantir a segurança do e-commerce.

1. Invista em um certificado digital SSL

Todo site em que navegamos tem um código http, certo? Pois saiba que, em se tratando de e-commerces, existe um certificado digital, chamado de SSL, que transformará o seu código em https.

Ok, mas e o que isso significa? Para o cliente, significa que, ao acessar o seu site, ele verá o “S” após o “http”, o que serve para atestar algo essencial: as informações pessoais e bancárias por ele inseridas serão criptografadas e estarão protegidas contra fraudes.

Quer dizer, portanto, que você investiu em uma camada extra de segurança para o seu site, pois preza pela privacidade e pelo resguardo dos dados que o consumidor, em um voto de confiança, aceitou passar.

2. Escolha o tipo apropriado de SSL

O certificado digital SSL tem algumas modalidades, com níveis diferentes de proteção. Cabe a você decidir qual deles mais se ajusta ao perfil do seu e-commerce e ao seu bolso. No entanto, independentemente de qual for a sua escolha, o importante é não deixar de utilizar a ferramenta.

Vamos às três principais:

  • SSL simples: criptografa e protege os dados que são inseridos no seu site;
  • SSL EV: além de criptografar dados, faz com que o navegador fique na cor verde, com um cadeado ao lado esquerdo, e deixa sua razão social visível. Bancos, em geral, adotam essa alternativa;
  • SSL Wildcard: permite a inserção de subdomínios, sem custos adicionais. É indicado, portanto, para lojas que têm vários subdomínios.

3. Adote um selo blindado

Já reparou que alguns sites que visitamos apresenta um ícone com os dizeres “selo blindado”? Está aí mais um item valioso para garantir a segurança do seu site, capaz de transmitir profissionalismo, ao mesmo tempo em que, efetivamente, protege o seu negócio.

Mas não adianta apenas ter a imagem. É preciso que, ao clicar no ícone, ele direcione para o site oficial do serviço de blindagem e exiba uma data recente de auditoria e também o domínio do site, status e razão social.

Lojas mal intencionadas, muitas vezes, inserem apenas a imagem, para enganar o consumidor. Um tiro no pé, com certeza. Consumidores mais cautelosos farão essa checagem e, vendo que está tudo certo, darão valor ao seu investimento.

Além de elevar a reputação do seu negócio, a blindagem diminuirá a vulnerabilidade do seu site, impedindo, por exemplo, que insiram um vírus ou malware na sua loja, acessem dados pessoais e bancários ou derrubem a sua página.

4. Cogite adotar o WAF

O Web Application Firewall (WAF) não é exatamente um serviço barato, mas oferece um diferencial incrível em termos de segurança: por conta própria, ele faz uma varredura e não só identifica, como também bloqueia qualquer suspeita de invasão e roubo de dados. E o melhor: 24 horas por dia.

É, portanto, uma garantia a mais de que seu site não será invadido e ainda protege sua loja de ataques de DDoS (Distributed Denial of Service, em inglês), que é quando um computador escraviza outras máquinas, condicionando-as a acessarem, ao mesmo tempo, um determinado recurso em algum servidor.

Em geral, as empresas que oferecem o selo site blindado também vendem o WAF.

5. Deixe os seus dados visíveis

Nenhum cliente vai querer comprar em uma loja que não declara visivelmente seus dados, como razão social, CNPJ, endereço, e-mail e telefone para contato. É algo bem simples na verdade, mas muitos e-commerces pecam por não disponibilizar essas informações, ou, então, por “escondê-las” em cantos improváveis do site.

Na dúvida, vá no mais comum. Coloque tudo na parte inferior do seu e-commerce, de forma que elas sejam as últimas a aparecer quando a página for toda rolada para baixo.

Essa é uma maneira de assegurar que você desenvolve um trabalho sério e que está à disposição para o cliente que quiser entrar em contato.

6. Exiba as opiniões de clientes

Hoje em dia, quase todo consumidor pesquisa opiniões deixadas por outras pessoas antes de fazer uma compra online. Segundo um estudo americano, 61% dos internautas fazem essa consulta.

De acordo com o mesmo estudo, uma opinião deixada por um cliente tem 12 vezes mais credibilidade do que informações oficiais do produto e o recurso pode aumentar as vendas em uma média de 18%.

Então, utilize esse comportamento a favor do seu negócio e crie um campo para avaliações pós-compra, de preferência bem completo: é possível, por exemplo, mostrar quantas pessoas já compraram aquele produto e citar aparições na mídia.

Uma loja que preza pela qualidade do seu serviço, certamente, terá clientes satisfeitos. Não deixe de aproveitar essa oportunidade para aumentar suas taxas de conversão.

7. Obtenha um selo de qualidade

Assim como em indústrias e outros segmentos, as lojas virtuais também podem obter selos de qualidade, que servem para mostrar a credibilidade do seu negócio.

No Brasil, um dos mais conhecidos é o Selo RA 1000, do Reclame Aqui. Obtê-lo significa que o seu e-commerce foi avaliado pelo mais famoso site de reclamações sobre compras online do país e passou no teste. Quer coisa melhor?

No entanto, assim como o selo blindado, não é qualquer certificação que vai convencer o consumidor. É preciso focar em instituições confiáveis e deixar um link que comprove a origem da emissão do título.

Como vimos, a segurança do e-commerce é um item de primeira necessidade, que não pode ser deixado em segundo plano pelo empreendedor. Para quem está no ramo há pouco tempo ou não quer investir nas ferramentas erradas, o ideal é contar com a ajuda de especialistas, que vão saber indicar as medidas adequadas e atualizadas para o seu negócio.

Entre em contato com a Idealize Tecnologia e descubra agora quais são os itens essenciais para deixar a sua loja virtual segura e protegida.

Leave a reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>